Esta notícias foi vista134vezes!

A (CDN) -Corredor de Desenvolvimento do Norte completou no passado dia 10 de Janeiro passado, 13 anos, desde que começou a explorar de forma integrada as infra-estruturas ferro-portuárias do norte de Moçambique, focado em continuar a investir para o desenvolvimento socio-económico da região norte.

“ Estamos satisfeitos porque ao longo dos 13 anos, contribuímos bastante para a melhoria da vida da população da região norte e é evidente o desenvolvimento que os nossos serviços trazem para as províncias de Nampula e Niassa, onde operamos com destaque”.- Disse Sérgio Paunde, porta-voz da CDN comentando em torno dos 13 anos da empresa.

Dentre vários marcos importantes e memoráveis, destacam-se a efectivação da ligação ferroviária entre as cidades de Cuamba-Lichinga, Cuamba-Entre Lagos e introdução de Comboio de mercadorias ligando a cidade portuária de Nacala e o município de Lichinga, acções que estão a contribuir significativamente para a melhoria da vida socio-económica das populações destas regiões.

A ligação entre Cuamba-Lichinga por via ferroviária concretizou-se em 2016, depois da reabilitação daquele troço de 262 quilómetros com um orçamento avaliado em 100 milhões de dólares americanos.

A linha foi inaugurada a 03 de Novembro do mesmo ano, pelo presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi e iniciou o comboio de passageiros no dia 05 de Novembro e o comboio de mercadorias aconteceu no dia 16 de Junho de 2017, volvidos mais de 10 anos sem esse tipo de comboio escalar aquela região.

Ao passo que a ligação entre Cuamba-Entre Lagos aconteceu em 02 de Fevereiro de 2017, depois da reabilitação e inauguração daquele troço.

Actualmente, o troço Cuamba-Lichinga é o que transporta mais pessoas e bens em detrimento dos outros dois troços que a CDN opera, facto que obrigou a empresa a introduzir comboio de passageiros diariamente desde segundo semestre do ano passado.

De realçar que no ano passado, a CDN, empresa concessionária e responsável pela operacionalização das infra-estruturas ferro portuárias no norte de Moçambique, fechou o ano com cerca de 500 mil passageiros transportados em 627 comboios realizados nos troços, Nampula-Cuamba, Cuamba-Entre Lagos e Cuamba-Lichinga.

Actualmente, o material circulante da CDN para atender o corredor é composto por 732 vagões, destes, 277 de transporte de contentores, 160 de grão (carga solta); 237 a granel (carga em sacos e 58 petroleiros (vagões tanque) para atender o transporte de mercadorias.

Recordar que os contratos de concessão do porto de Nacala e da linha Férrea do norte, foram celebrados a 29 de Setembro de 2000, entre o Governo da República de Moçambique na qualidade de Autoridade Concedente, a CDN na qualidade de Concessionária e os CFM, na qualidade de empresa pública gestora dos bens e serviços portuários no país.

Mas entretanto, somente no dia 10 de Janeiro de 2005, a CDN iniciou a gestão e operação do Porto de Nacala e Linha Férrea do Norte que engloba o troço Nacala-Porto-Nampula, Nampula-Cuamba, Cuamba Lichinga e o ramal que liga Cuamba e o distrito fronteiriço de Entre-Lagos.