Esta notícias foi vista58vezes!

Volvidos sete anos, chega nesta Sexta-feira, 16 de Junho corrente na cidade de Lichinga, província do Niassa, norte de Moçambique o primeiro comboio de mercadorias, que vai partir da Cidade de Nacala-Porto.

A composição, constituída por 15 vagões blindados sendo cinco vagões de cimento da CIMPOR, e igual número de trigo da BAKRESA, um vagão de Sal, dois vagões tanque de combustível da PETROMOC e dois de arroz, com capacidade de 40 toneladas cada, partiu da cidade portuária de Nacala, nesta quarta-feira.

O último comboio de mercadorias a circular naquele troço foi em 2010, e a perspetiva da empresa Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN) com a retomada deste comboio é de facilitar o fluxo intensivo do circuito de comercialização no corredor de Nacala e particularmente a cidade de Lichinga.

Recorde-se que o Presidente da República, Filipe Nyusi, reinaugurau a linha férrea Cuamba-Lichinga, com cerca de 262 quilómetros de extensão em Novembro de 2016, e este feito foi muito importante para garantir a circulação de comboios de diversos pontos do Norte para Niassa, o que naturalmente vai ajudar no desenvolvimento socio-económico daquela província.

Entretanto, logo a reinauguração da linha férrea Cuamba-Lichinga, ficou garantida a circulação do comboio de passageiros de forma segura e cómoda, e nesta sexta-feira fica gravada na história o início da circulação do comboio de mercadorias, fortificando desta feita a missão da CDN que é de “Transporte ferroviário de mercadorias e passageiros, e operações marítimo-portuárias com segurança”, qualidade e eficiencia, e isso efectivamenete está ajudando no desenvolvimento do país.

A província do Niassa por ser um grande potencial econónimco em desenvolvimento, o principal objectivo da CDN é de robustecer esta eminente potência que aquela região do norte do país ostenta, com o transporte de mercadoria a partir daquele ponto para outras cidades situadas ao longo do corredor de Nacala e países do Interland e vice-versa.

Notas para o editor:

A CDN – Corredor de Desenvolvimento do Norte, é uma sociedade anónima constituída e registada em Moçambique, cujo objectivo é a gestão, reabilitação e exploração comercial de forma integrada das infra-estruturas do Porto de Nacala e da rede ferroviária do norte de Moçambique.

O principal objectivo da CDN é a prestação de serviços ferroviários e portuários de alta qualidade, eficiência e segurança nas infra-estruturas e concessões atribuídas a empresa, servindo com eficácia os mercados nacional e regional.