Esta notícias foi vista38vezes!

Um total de 77.822 pessoas foram transportadas através do comboio de passageiros ligando as cidades municipais de Cuamba-

Lichinga, na província do Niassa, desde Novembro do ano passado até Junho último, aliás, decorridos oito meses depois da reabertura daquele troço operacionalizado pelo Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN).

O comboio que opera no troço Cuamba até Lichinga, efectivou-se mercê da reinauguração da linha férrea Cuamba-Lichinga pelo presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi.

Até no fim do primeiro semestre do ano em curso, foram realizados um total de 94 comboios mistos de passageiros ligando aquelas duas regiões daquela província nortenha do país.

Durante o período em referência, a CDN superou as suas expectativas de transporte de passageiros, ao transportar no troço Cuamba-Lichinga 77.822 pessoas em relação as 72 mil previstas.

Para além dos 77.822 passageiros, outras 120.342 pessoas beneficiaram-se deste meio de transporte nos outros dois troços onde o comboio de passageiros opera, nomeadamente, Nampula-Cuamba e Cuamba-Entre-Lagos.

“Com esta realidade a CDN acredita que a circulação do comboio nos troços Nampula-Cuamba, Cuamba-Lichinga e Cuamba-Entre-lagos está melhorar a vida socio-económica da população da região norte e de Niassa em particular, e a aposta da empresa é continuar a oferecer serviços ferroviários com segurança, qualidade e eficiência”,-disse Sérgio Paunde, porta-voz oficial da empresa.

Recordar que no passado dia 16 de Junho iniciou também a operacionalização do primeiro comboio de mercadorias, marcando desta forma o reinicio do transporte ferroviário de carga, entre Lichinga e o estratégico porto de Nacala, depois de sete anos.###

Nota para o editor:

Comboio misto-Comboio que transporta passageiros e mercadorias.

Sobre a empresa Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN)

A CDN – Corredor de Desenvolvimento do Norte, é uma sociedade anônima constituída e registada em Moçambique, cujo objectivo é a gestão, reabilitação e exploração comercial de forma integrada das infra-estruturas do Porto de Nacala e da rede ferroviária do norte de Moçambique. Integra-se no Projecto Corredor Nacala, que engloba a região norte de Moçambique, o Malawi e a Zâmbia.

O principal objectivo da CDN é a prestação de serviços ferroviários e portuários de alta qualidade, eficiência e segurança nas infra-estruturas e concessões atribuídas a empresa, servindo com eficácia os mercados nacional e regional. Para além disso, a empresa procura modernizar toda a sua infra-estrutura, bem como o seu modelo de gestão, de forma a garantir a melhoria do serviço e tornar-se uma empresa competitiva e sustentável. O objectivo final é melhorar a circulação ferroviária e portuária, expandindo e modernizando a frota existente, com especial atenção às questões de segurança operacional, garantindo a segurança dos seus funcionários, passageiros e equipamento.