Esta notícias foi vista90vezes!

O comboio apitou! – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, reinaugurou na quinta-feira, do passado dia 3 de Novembro de 2016, a linha-férrea Cuamba-Lichinga, na província do Niassa, naquilo que para a CDN constitui um marco histórico, depois de 6 anos sem a circulação de comboio naquela província devido ao elevado estado de degradação do troço de Cuamba até Lichinga, numa extensão de 262 km, com capacidade para 16,5 toneladas/eixo e que envolveu 450 trabalhadores de Junho de 2014 à Novembro de 2016.

Orçada em 100 milhões de dólares norte-americanos, a reabilitação da obra incluiu a colocação de travessas metálicas, assim como a construção de novas pontes, desminagem, mitigação dos efeitos da erosão e desmatamento. Espera-se com esta infraestrutura moderna aumentar o volume de carga transportada a nível da performance operacional da empresa, e poder contribuir para levantar o desenvolvimento sócio-económico de Niassa e da região Norte de Moçambique.

Marco histórico- reabertura de Cuamba-Lichinga_02

O evento de reabertura da linha Cuamba-Lichinga que contou com a presença de membros dos governos Central e Provincial, representantes e convidados da CDN, foi marcado por uma cerimónia tradicional, queima de fita na locomotiva, e partida de comboio da estação de Lichinga até a Passagem de Nível de Chimbonila, à 14km da cidade capital. No seu regresso a estação, fez o descerramento da placa de reabertura e partiram para os discursos na tribuna cercada de uma multidão eufórica.

 

 

Para o Chefe de Estado, a reinauguração da linha é mais uma razão para o Niassa deixar de ser desconhecido e esquecido.

Filipe Jacinto Nyusi

“Aqui está vincada a ideia de que a caminhada faz-se caminhando. Está patente a ideia de que o desenvolvimento é um processo que nos vai batendo à porta paulatinamente quando trabalhamos. Com o comboio na estação terminal de Lichinga, Moçambique orgulha-se dos passos que está a dar, o país vai se alimentar de feijão sem igual que o Niassa produz”.

Filipe Jacinto Nyusi
Presidente do República de Moçambique

“Esta linha faz parte da zona da concessão que o Governo de Moçambique cedeu ao CDN que além do sistema ferroviário do norte, integra o importante porto de carga geral em Nacala. A unicidade do sistema
ferro-portuário do norte é a condição sine qua non para o sucesso desse projecto e consequentemente crescimento da região”.

Renato Torres
Presidente do Conselho de Administração do CDN