Esta notícias foi vista88vezes!

O Unilog Ferrovia era o sistema que a operação do Corredor Nacala utilizava para monitorar os comboios, material rodante e indicadores de desempenho. Porém, no último dia 23 de Agosto, este sistema foi substituído pelo GPV Ferrovias. A substituição do sistema de operação teve como principais motivadores a mitigação de riscos causados pela obsolescência tecnológica, simplificação de funcionalidades, redução de custos, internacionalização e melhoria de performance, correção da interface com o GPV Portos.

Os principais benefícios planeados para esse projeto foram: Promover robustez ao ambiente com uma plataforma actualizada tecnologicamente; melhorar performance e usabilidade diminuindo tempo de digitação; melhorar a qualidade e confiabilidade dos indicadores; padronizar a interface gráfica; reduzir o tempo e o custo para implantação em outras nacionalidades; internacionalizar e regionalizar o sistema; liberdade para utilização do sistema em diferentes idiomas e fusos; possibilitar justificativas dos eventos de comboios, vagões e locomotivas; prover interfaces com demais sistemas relacionados ao negócio ferroviário como o GPV Portos e Sistema de Licenciamento de Comboios. Além disso, todos os dados do sistema anterior foram migrados para o GPV Ferrovias proporcionando a continuidade das actividades de operação ferroviária no novo sistema.

“O GPV é uma ferramenta que veio aumentar a eficiência dos processos de controle da malha ferroviária, garantindo uma melhor eficiência e confiabilidade na nossa gestão. Estamos nos alinhando ao que há de mais moderno no mundo nesta área”, afirma Mário Moura, director executivo de Operacões CDN/CEAR.

Todos os dados do sistema anterior foram migrados para o GPV Ferrovias proporcionado a continuidade das actividades de operação ferroviária no novo sistema.

Para implantação do GPV Ferrovias no Corredor de Nacala, foram treinadas presencialmente oitenta e duas pessoas em diversas localidades.