Esta notícias foi vista124vezes!

No ano passado, transportamos cerca de 405 mil toneladas de carga diversa quase o dobro da carga transportada no ano de 2016, que foi de 245 mil toneladas. Foi um grande sucesso apesar de não termos atingido a meta planificada de 719 mil toneladas. A propósito desse crescimento entrevistamos o director comercial e novos negócios da CDN, Fábio Duarte.

P: Quais foram as razões que contribuíram para este crescimento do volume da carga?

R: Este crescimento do transporte de carga resulta por um lado do aumento da capacidade de resposta da CDN, em termos de disponibilidade de equipamento, e do bom estado em que se encontra a linha férrea e, por outro lado, o amplo trabalho de Marketing, Comercial e Desenvolvimento de Novos Negócios desenvolvido pelas equipas CDN e o empenho de todos dos colaboradores da empresa.

P: Que desafios temos para o 2018?

R: O ano de 2017 marca o início da reintegração do Corredor de Nacala no desenvolvimento económico-social de Moçambique, Malawi e Zâmbia, uma vez que conseguimos atingir um alto nível de eficiência operacional e comercial, reflectidos no marco de 405 mil toneladas atingido.
Por sua vez, o ano de 2018 é bastante promissor, uma vez que temos um orçamento de 480 mil toneladas a ser cumprido como consequência do óptimo resultado de 2017, a equipa do Comercial conseguiu fechar contratos com potenciais clientes, alguns antigos parceiros e outros novos, totalizando um volumes de 533 mil toneladas de carga, ou seja, 11% acima do volume orçado.